Vidro de palmito? Porta retrato!

E hoje tenho o imenso prazer de estrear a nossa primeira coluna, escrita por esse que vos escreve, onde irei falar exclusivamente sobre reciclagem e reaproveitamento de materiais. Dêem as boas-vindas para Luxo do Lixo. \o/

Bom, a primeira postagem da nova coluna, recém nascida e ainda com cheiro de leite, vai para você que, assim como eu, enlouquece sua família e dá uma de acumulador compulsivo, guardando um moooonte de potes e garrafas de vidro, mesmo sem saber muito bem o que vai fazer com todos eles. Pois então, tempos atrás saiu uma matéria em um jornal aqui do estado (A Gazeta) exatamente sobre isso. E de lá eu tirei a inspiração para fazer isso aqui:


Não tem mistério. Lava o vidro, seca, coloca a foto dentro e ajeita. O bacana é que o custo é baixo (ou zero, se você achou no lixo do vizinho ;^D), a idéia é criativa, ecologicamente correta e as fotos ficam protegidas da poeira e da umidade, além do efeito visual interessante. Repararam que tem uma garrafinha ali no cantinho, né? Para usá-las como porta-retrato tem o seguinte: é muito difícil mudar a foto depois que ela já está na garrafa, pois o processo de troca normalmente envolve a destruição da anterior. Logo, o bacana é usar cópias quando optar por garrafas. Depois de escolher a foto, enrole-a para passar pelo gargalo e depois ajeite com um lápis ou ago assim. Também vale usar garrafas de Coca-Cola, como vi na Photojojo.


Povo aqui de casa reclama, sabe, diz que eu compro coisas no supermercado só por causa dos potes de vidro. Pura intriga da oposição. Mas enfim, agora vou lá na cozinha fazer empadinhas de palmito com azeitona.... tô querendo colocar mais dois vidrinhos com fotos aqui no quarto. xD

5FSX7JYE7UMC <-- Gente, vocês podem fingir que não estão vendo esse monte de números e letras aqui? É que o Du inscreveu o blog em uma comunidade gringa para blogs e, para que o meu ingresso fosse aceito, eu preciso mostrar meu código de confirmação da conta em uma das postagens.

Livrai-nos de toda sem gracisse, amém

Marco Hygino cria, Marco Hygino inventa moda, Marco Hygino é meio doido e fala dele mesmo na terceira pessoa mas, Marco Hygino tem fé. E, em um do meus vários momentos profundos de reflexão (cof, cof), pensei: é possível ter fé com estilo? A resposta é SIM! Oh, thank's God! \o/

A Goma386 (de Portugal) fabrica e comercializa Santos Antonios coloridos de uma porção de cores bacanas e bem vibrantes, do jeitinho que eu gosto. E lá, esses santinhos coloridos são super famosos: já apareceram na televisão e até tem um Santo Antonio de 4 metros de altura no MUDE - Museu do Design de Lisboa, de autoria do designer Nuno Brandão. Aí você pensa: “Hygino, vou ter que ir lá em Portugal comprar?”. Claro que não, né comadre? Não precisa ir até a terra do bigode e do pastel de belém para ter seu santo colorido. Prestenção no esquema dificílimo:

E, como metade do povo aqui de casa também morre de amores por São Chiquinho (tá, confesso, sou eu), também fiz um São Francisco, que pintei de azul, e coloquei em um oratório pintado de laranja que foi estrategicamente posicionado acima da porta de entrada, para proteger a casa e abençoar todos que aqui entram (e também por uma questão de espaço, vamos confessar, né?).

E aí, gostaram? Vamos botar a mão na obra, quer dizer, no santo? E ó: quem resolver fazer, mostra pra mim? Prometo que publico no FB (aproveitando, já curtiram a gente lá? Não? Ah, curte lá, vai).

Agora dá licença que vou ali fazer uma oração.

O primeiro post a gente nunca esquece

Meu interesse por decoração surgiu quando me mudei, no fim de 2005, e me vi diante de um mini apartamento, onde a cozinha era do tamanho de uma cabeça de alfinete e o banheiro mais assustador que banheiro de rodoviária. Como as coisas sempre podem piorar um pouco mais, eu não sabia fazer nada, nem tinha muito dinheiro para reformas, móveis, etc. A única coisa que eu tinha era uma bela vista para o mar. Então, para tentar compensar a falta de dinheiro/experiência, começei a fuçar revistas de decoração, visitar sites e pedir conselhos a amigos, na tentativa de aprender mais e tornar meu novo lar um pouco mais "habitável", por assim dizer.

Claro que, inicialmente, quebrei a cara um zilhão de vezes, mas não desisti. Acabei por me surpreender com o potencial positivo do pensamento obssessivo-compulsivo: quando eu enfiava uma coisa na cabeça, nada tirava. Corria atrás e dava um jeito de aprender, de fazer melhor, etc. A idéia do blog foi nascendo no meio disso tudo. Antes, nem ligava para nada, o  importante, para o meu eu insensível do passado, era as coisas estarem funcionando, e só. Mas, quando reparei, já estava comprando papel de parede da coleção do Rosenbaum e imprimindo o poster do Keep Calm.

Hoje, a reforma/decoração continua.... devagar, mas continua. Faço um pouquinho de cada vez, sempre que a constelação chamada dinheiro se alinha nos céus com a constelação chamada tempo. É como disse aquele moço, um tal de Abraham Lincoln: "Ando devagar, mas nunca ando para trás". Né?

E por aqui quem cozinha e ainda dá pitaco em tudo que faço é o Du, que logo mais vocês vão conhecer. Ah! Esses dois bigodes logo acima são meus meninos e garotos propaganda do blog.

Ó, outra coisa: logo logo tem estréia da nossa primeira coluna. Fiquem por aí.