Pendentes e luminária de UD

E aí, gente, estavam com saudades da nossa coluna? Tem um tempinho que ela não dá as caras por aqui, né? Para comemorar a ressuscitação da coluna, vários projetos handmade super inspiradores e no final, um PAP que vai trazer charme para qualquer cozinha. E então, depois dessa eu tô perdoado pelo sumiço da coluna? ;^P 

1. Pendente de xícara de chá, por -z3n-.
2. Plaquinha de madeira + bocal + fio com tomada + ralador = luminária ralador, por Michael Smith.  
3. TUPPERLIGHT, por BootsNGus.


4, 5 6 e 7. Pendente escorredor e pendente vintage, por FleaMarketRx

E aí, quer fazer um pendente de escorredor para alegrar sua cozinha? Só clicar aqui

Mas ó, para fazer os outros pendentes é só aplicar o mesmo princípio, entendido? 


Cortina de banheiro Anthropologie



Essa cortina é vendida na loja gringa Anthropologie e, pelo que andei vendo, é sonho de consumo de dez entre dez blogueiros (eu estou incluso). É vendida por $118,00. Mas ó, posso contar uma coisa? A moça do blog elleapparel fez uma em casa que ficou igualzinha e disponibilizou o PAP no blog dela. Tá em inglês, mas tem muitas fotos. Como não sei costurar, achei o projeto um pouco complicado. Mas, de repente, é mamão com açúcar para alguém sabido nas artes da costura. :) 

Made in Piauí

Cesto Bogoió de Argolas
Marcelo Rosenbaum desembarcou essa semana em Milão, na Itália, para participar da Semana de Design (17 a 22 de abril), a maior feira do gênero no mundo, levando na mala as 28 peças da Coleção Toca, produzidas por ele e sua equipe em parceria com os artesãos do povoado de Várzea Queimada, no interior do Piauí, uma das regiões mais pobres do Brasil. O trabalho é uma iniciativa do projeto "A Gente Transforma", ou AGT, criado pelo designer, e tem como objetivo "ampliar e qualificar a produção artesanal, torná-la parte da decoração brasileira, contribuindo para a valorização de peças de ‘design de raiz‘ ".

Anéis de borracha
As peças são tradicionalmente produzidas com palha de carnaúba e borracha, tendo como base o conhecimento adquirido por meio dos índios, negros e imigrantes europeus com os quais esse povo manteve contato no passado. A criação dos objetos de palha ficam por conta das mulheres (nessa comunidade essa é uma atividade tipicamente feminina) e resulta em diversos utilitários, como, por exemplo, cestos, tabuleiros, máscaras e tapetes completamente originais e autênticos. Já a borracha, é trabalhada apenas pelos homens, que reciclam pneus para criar chaveiros, fruteiras e até mesmo jóias, como colares de frutas e, ainda, esses anéis da imagem a esquerda. 

Depois de terminada a exposição, todas as peças retornarão para o Brasil e serão comercializadas em São Paulo pela loja Conceito Firmacasa. Quem quiser fazer encomendas de qualquer peça da Coleção Toca, basta enviar e-mail para produtoagt@rosenbaum.com.br.



Para ver mais fotos das peças que estão expostas, basta clicar aqui.

Santo espelho

Espelho + um punhado de cacos de anjos de cerâmica + cola quente + tinta spray =


Essa belezura foi feita pelo Michael, participante do Design Star, reality show americano sobre decoração, exibido na Fox LIFE. A cada semana, os participantes precisam quebrar a cabeça para redecorar ambientes diversos usando apenas artigos pouco convencionais e, no processo, impressionar os três jurados, que são profissionais de prestígio no mundo da decor. Mole, né? ;P

Imagem by hautekhuuture

Decorando com molduras


1. Parede sem graça? Vê se essas molduras de diferentes tamanhos não resolvem o problema. 
2. Tudo branco. Tédio? Nenhum.
3. Não consegue achar molduras que goste? Então desenhe as sua próprias, oras!
4. Muitas molduras, você pensa. Errado, jovem gafanhoto. Isso é papel de parede, acredite se quiser. E ó, entrega no Brasil. A Ana, do blog objetosdedesejo, comprou aqui e até deu dicas de instalador.  

Imagens daqui, daqui, daqui e daqui.

Torta Capixaba

Por Eduardo Mendonça

Não importa se você é cristão, budista, kardecista ou ateu, o almoço da Sexta-Feira Santa já virou uma tradição do povo brasileiro. Do bacalhau a sardinha, as famílias se reunem em torno de um prato feito a base de peixe ou mariscos.

No Espírito Santo, a torta capixaba é a grande atração do dia. Sua origem data do Brasil colônia, na ocasião em que as famílias menos abastadas consumiam a mistura de frutos do mar como alternativa ao bacalhau (que na mesa dos portugueses era o "produto rei") em celebração a Semana Santa.

Para apreciar o sabor da culinária capixaba e, quem sabe, reviver a época do Brasil colônia, vocês vão precisar de:

- Cebola, alho, azeite, azeitona verde, coentro, cebolinha, tomate sem pele e sem semente, colorau;
- 100gr de palmito natural previamente cozido;
- 100gr de siri desfiado;
- 100gr de caranguejo desfiado;
- 100gr de camarão;
- 100gr de ostra;
- 100gr de sururu;
- 100gr de bacalhau desfiado.

Em uma panela grande, comece refogando a cebola e o alho no azeite. Em seguida, junte o tomate picado e misture. Acrescente o colorau e, na sequência, coloque todos os outros ingredientes, um por vez. Deixe cozinhar por cerca de 15 a 20 minutos. Feito isso, coloque o refogado no escorredor para tirar todo o caldo. Reserve.

Bata quatro claras em neve e depois acrescente as gemas misturando com um garfo (segredinho: adicione às gemas uma colher de chá rasa de colorau e, depois juntar as gemas com as claras em neve, acrescente duas colheres de sopa - não muito cheias - de farinha de trigo e misture). Coloque o refogado numa panela de barro untada com azeite e, por cima, acrescente os ovos batidos, umas rodelas de cebola e algumas azeitonas verdes para decorar. Leve ao forno, pré aquecido a 240º, por 20 a 30 minutos.

Uma dica bacana: Lembra do caldo que escorreu do refogado? É com ele que vocês vão fazer um pirão para acompanhar a nossa receita. Basta colocar o caldo na panela, deixar ferver e ir acrescentando um pouco (bem pouco) de farinha de mandioca enquanto mistura, sempre em fogo baixo, até engrossar.

Selecionei um vídeo bem legal que fala um pouco mais sobre a origem da torta capixaba, além de mostrar o preparo da receita. Vale a pena conferir (leitores via feedburner, favor clicar aqui para assistir).


Então é isso, minha gente. Que vocês tenham um excelente almoço em família e que lembrem de celebrar a vida, a paz e o amor.


Ideias de decor para a Páscoa


1,2 e 3. Ideia by Martha Stewart (o n.º 3 tem PAP, só clicar aqui);

4. Guirlanda de Páscoa feita com cartela de tintas da modernparentsmessykids. Gente, dá pra fazer tanta coisa com a tal da cartela de tintas. Assim que passar o feriado, faço um post pra vocês, tá?

Estreia da coluna El Garfo

Há oito meses atrás, quando o nosso querido Marco Hygino fez a estreia da fofys house, recebi um convite para compor a equipe de colunistas com a missão de falar sobre o mundo das guloseimas. E é claro que, como um bom gourmant, não pensei duas vezes.

Parece mentira, mas a minha estreia no dia 1º de abril foi bem ao acaso. Acreditem em mim, não há nenhum simbolismo por trás disso! Além do mais, a proximidade com a Páscoa e o cheiro de chocolate no ar acabaram me inspirando e, só por isso, resolvi dar o ar da graça por aqui. Tá, tudo bem, essa foi a minha lorota do dia.

Mas vamos ao que interessa: comida! Para a estreia da coluna, resolvi que seria interessante e bem apropriado dar uma receitinha simples, que pudesse servir de antepasto. Sim, porque essa é apenas a entrada, o início do caminho repleto que delícias que vamos percorrer juntos. Assim espero!

Crocante, saborosa e muito prática, essa receita é uma daquelas cartas que a gente tem que ter na manga, especialmente em ocasiões festivas.


Para fazer bonito e garantir bons elogios, vocês vão precisar de:

- Pão árabe (sírio) cortado em fatias de aproximadamente 4 cm;
- Azeite extra virgem;
- Molho pesto (eu usei o Paganini Genovês clássico, à base de Pinoli, azeite de oliva, queijo parmesão e alho).

E é só isso, minha gente. Forno em potência máxima, fatias de pão devidamente pinceladas com o bom azeite extra virgem, e vai colocando tudo sobre uma travessa. 12 a 15 minutos (de Ò.ó ligados no forno) para que fiquem levemente dourados. Pesto na molheira (e mais um pouco de azeite), mistura, arruma e serve! O nome da receita? Focaccia de Pão Árabe, pode?

Ah, antes que eu me esqueça, me chamo Eduardo Mendonça e estarei com vocês aqui na fofys house toda semana, trocando receitas e dicas com quem, assim como eu, adora comer.