Torta Capixaba

Por Eduardo Mendonça

Não importa se você é cristão, budista, kardecista ou ateu, o almoço da Sexta-Feira Santa já virou uma tradição do povo brasileiro. Do bacalhau a sardinha, as famílias se reunem em torno de um prato feito a base de peixe ou mariscos.

No Espírito Santo, a torta capixaba é a grande atração do dia. Sua origem data do Brasil colônia, na ocasião em que as famílias menos abastadas consumiam a mistura de frutos do mar como alternativa ao bacalhau (que na mesa dos portugueses era o "produto rei") em celebração a Semana Santa.

Para apreciar o sabor da culinária capixaba e, quem sabe, reviver a época do Brasil colônia, vocês vão precisar de:

- Cebola, alho, azeite, azeitona verde, coentro, cebolinha, tomate sem pele e sem semente, colorau;
- 100gr de palmito natural previamente cozido;
- 100gr de siri desfiado;
- 100gr de caranguejo desfiado;
- 100gr de camarão;
- 100gr de ostra;
- 100gr de sururu;
- 100gr de bacalhau desfiado.

Em uma panela grande, comece refogando a cebola e o alho no azeite. Em seguida, junte o tomate picado e misture. Acrescente o colorau e, na sequência, coloque todos os outros ingredientes, um por vez. Deixe cozinhar por cerca de 15 a 20 minutos. Feito isso, coloque o refogado no escorredor para tirar todo o caldo. Reserve.

Bata quatro claras em neve e depois acrescente as gemas misturando com um garfo (segredinho: adicione às gemas uma colher de chá rasa de colorau e, depois juntar as gemas com as claras em neve, acrescente duas colheres de sopa - não muito cheias - de farinha de trigo e misture). Coloque o refogado numa panela de barro untada com azeite e, por cima, acrescente os ovos batidos, umas rodelas de cebola e algumas azeitonas verdes para decorar. Leve ao forno, pré aquecido a 240º, por 20 a 30 minutos.

Uma dica bacana: Lembra do caldo que escorreu do refogado? É com ele que vocês vão fazer um pirão para acompanhar a nossa receita. Basta colocar o caldo na panela, deixar ferver e ir acrescentando um pouco (bem pouco) de farinha de mandioca enquanto mistura, sempre em fogo baixo, até engrossar.

Selecionei um vídeo bem legal que fala um pouco mais sobre a origem da torta capixaba, além de mostrar o preparo da receita. Vale a pena conferir (leitores via feedburner, favor clicar aqui para assistir).


Então é isso, minha gente. Que vocês tenham um excelente almoço em família e que lembrem de celebrar a vida, a paz e o amor.


0 comentários:

Postar um comentário