Principais Estilos da Decoração - Barroco

Começo hoje uma séria de postagens sobre os principais estilos da decoração, começando pelo Barroco. Porque, na minha opinião, não só de frufrus, mimimis e passo-a-passos vive um blog de decoração. É nossa missão informar também. Espero que todos gostem. :)

1. Barroco

Imagem 1. Luís XIV
Nasceu em Portugal, atingindo o auge em 1620, e seu ar pomposo, cheio de curvas, conquistou a Europa, principalmente os Países Baixos. Uma versão menos exuberante, mais classicista, originou o Estilo Luís XIV. O espírito do Barroco é o exagero que reflete o absolutismo dos reis europeus e a preocupação da Igreja em retomar o catolicismo, enfraquecido pela Reforma. A arquitetura dos castelos e palacetes da nobreza, carregados de ornamento e pintura, assim como as igrejas, refletem a dramaticidade da ópera (união de todas as artes). Na França, foi denominado "Luís XIII" e "Luís XIV"; na Inglaterra, "Jacobino"; na Alemanha, "Barroco Alemão"; nos Países Baixos, "Estilo Flamengo". O Estilo Barroco é caracterizado pelas "acrobacias da arquitetura": linhas curvas, linhas rompidas, madeira torneada, etc. O ébano é a matéria-prima mais usada, revestida de marchetaria.

No meio do século XVII, os ricos eram muito ricos e os pobres não tinham outra escolha senão servir. É a expressão de uma sociedade profundamente monárquica, em que reina a vaidade, o gosto pela grandeza exagerada, isto é, a exaltação da soberania e sua côrte. Se olharmos para o mobiliário daquela época, poderemos facilmente imaginar o luxo e o esplendor das côrtes, principalmente da francesa.

A exagerada ornamentação dos móveis, o brilho e o virtuosismo inusitados transformam-se num elemento de decoração, perdendo, então, o caráter essencialmente utilitário, sendo a madeira esculpida e dourada. Colunas torcidas, distorcidas e frontões partidos com enormes molduras conseguiam efeito teatrais na arquitetura e na mobília.

Imagem 2. Poltrona Luís XIV.
As cadeiras eram elaboradas em volutas, mesas com ricas esculturas e camas em estruturas colossais com colunatas retorcidas e dosséis. Há utilização de materiais como chifres de marfim, osso, casco de tartaruga e crustáceos; metais, como estanho, e dourados, como brinze e cobre. Os motivos ornamentais são ricamente trabalhados e executados com rigor simétrico, sendo os principais motivos as conchas e folhagens, seguidos por dois "L" entrelaçados, o sol e, em seu meio, uma cabeça de mulher. 

O século XVII faz nascer um estilo que se exprime diferentemente em cada país, segundo o temperamento nacional dos artistas. Austero na Inglaterra, ele é galante na Itália e nos Países Baixos. Na França, foi denominado Luís XIII, Luís XIV e Regência. No entanto, salienta-se que o Estilo Regência pode muito bem ser definido sob o ângulo Barroco ou sob o ângulo Rococó: época de transição e de pouca duração, quando a decoração sofre sérias modificações. Na Inglaterra, o Barroco foi denominado Jacobino (1603-1660), Restauração (1660-1688) e, na época dos Stuart no trono, Queen Ann (1688-1714). Na Alemanha, foi denominado apenas de "O Barroco Alemão". Em Flandres e nos países Baixos, ele foi designado sob os termos "Estilo Flamengo", "Rubens" e "Estilo Holandês".

Na Itália o Barroco, devido a vantagem de possuir arabescos, vingou nas regiões onde o temperamento dos artistas era tendencioso para a decoração: Veneza, por exemplo.

Características

O Estilo Barroco não é totalmente caracterizado por um excesso de ornatos (que é realmente próprio do Rococó) e sim por aquilo que poderíamos chamar de "acrobacias de arquitetura": linhas curvas, linhas rompidas, etc. Estas "acrobacias", embora pareca paradoxal, deram-nos obras de bastante equilíbrio. Um exemplo: o estilo Luís XIII é Barroco no uso que faz da madeira torneada, dos motivos lavrados, de certos ornato que não são realmente incorporados ao mobiliário (vasos, cabeças de leões, etc).

O Estilo do Mobiliário

Os dois móveis dessa moda são a secretária e a cômoda. A cômoda sempre foi mo móvel familiar, por excelência. Ela tomou o lugar do baú, da arca, do cofre. Nessa época, os quartos começam a tomar um destino preciso: quarto de dormir, gabinete de leitura, etc.

A Madeira

Imagem 3. Armário Boulle, com marqueterie e ébano.
Aparece o ébano como a matéria-prima usada, revestida de incrustações ou de marqueterie. Daí nasceu o termo francês ébeniste, usado na época para designar aqueles que trabalhavam o ébano. Usou-se o ébano nos Estilos Luís XIII e Luís XIV.

Ornatos Típicos

  • A cabeça de leão, tendo em seu pescoço um anel (ornato é de origem holandesa).
  • As folhas de oliva alongadas e estilizadas.
  • Os lavrados estilizados.
  • As espagnolettes (bustos de moças sorridentes, ornamentando os pés dos móveis) - Estilo Regência.
  • Os dragões (tipicamente Regência).
  • Motivos florais e entalhes em madeira clara (marqueterie) - nos Países Baixos e na Inglaterra.

Fonte: Apostila de História do Design e do Mobiliário

Imagens: anossaescoladesignspongemuseu.gulbenkian.

0 comentários:

Postar um comentário